Primeiro Capítulo

mercedes

Mercedes (Fernanda Montenegro) deixa sua mensagem em “O Outro Lado do Paraíso” (foto: reprodução)

Depois de muito tempo sem poder acompanhar decentemente uma novela devido aos quatros anos de faculdade, finalmente consegui retomar o hábito de assistir a uma história diária (ok, que de forma bem diferente com as facilidades do on demand), mas assisti “O Outro Lado do Paraíso”. No começo, me pegou de jeito, acho que estava com saudades do “ver telenovela”, depois em alguns momentos dei uma abandonada, nem se quer acompanhava no GloboPlay, exceto grandes momentos, como os intermináveis julgamentos. Quando assisti o capítulo final, pelo aplicativo, pois não pude ver na hora, me reascendeu a vontade de escrever sobre novela.

 

Em 2017, fiz meu trabalho de conclusão de curso sobre vilãs de telenovela. Um estudo que me deu a honra de poder assistir “Vale Tudo”, “Tieta”, “A Indomada”, poder rever diversas tramas que fizeram parte da minha infância, como “Celebridade” e “Páginas da Vida”. Reassisti boa parte dos capítulos com gosto, com vontade de quero mais, pude aproveitar meus raros momentos de lazer vendo “Por Amor” no Canal Viva. E sempre com aquela vontade de comentar os capítulos, maratonar no sofá de casa nos dias livres ou nos meus horários de almoço. Na época tinha meu orientador para conversar e se debruçar sobre as tramas, agora em 2018, me deu um vazio, comentar no Twitter e com os amigos (os poucos que assistem) já não me bastava mais. Me sentia incompleto.

Com o final da história de vingança de Clara contra Sophia, fiquei “fritando” muito os pensamentos sobre a qual razão eu não me apeguei a personagem de Marieta Severo, me questionei se o público gostava da trama e por que eles acompanhavam o novelão, no sentido mais clássico da palavra. Depois de muito tempo matutando, pensei “Vou fazer um blog!”, pensei em fazer um canal no YouTube também (esse ainda preciso pensar mais um pouquinho).

Para quem gosta de telenovela, pode ser um prato cheio. Quero comentar, ouvir dos amantes do gênero o que acham, o que esperam, suas angústias e suas alegrias. Adianto aqui que meu foco serão as novelas das 21h e 23h, assim como algumas reprises do Viva (estou animadíssimo em reassistir “Vale Tudo”). Para quem for de São Paulo, podem me convidar para assistir a novela na casa de vocês ou tomar um café para debater e relembrar outros títulos. Manter a história viva do folhetim eletrônico é sim refletir muito também sobre nossa sociedade.

Vou me dedicar mais ao assunto e tentar aprender mais!

Tentarei trazer novidades sempre que possível.

Espero que me acompanhem nessa jornada por aqui…

Beijos,

Marcellus